Avançar para o conteúdo principal

Foi a final do Mundial mais fácil da história. 4 a 0 mostrou a distância do Barcelona do Santos. E de Neymar de Messi…

Yokohama...
Não houve nem lágrimas...
Foi uma lição de futebol.
Uma covardia.
O melhor time do mundo goleou o Santos.
O Barcelona foi campeão do mundo com a maior facilidade.
Mostrou o real sentido do futebol coletivo, em bloco.
Jogadores talentosos tocando a bola.
Avançando como um exército impiedoso.
Comandado por Messi.
O melhor entre os melhores,
Driblando, tocando, procurando espaço entre os apavorados jogadores de Muricy Ramalho.
Pep Guardiola tem um esquema definido desde que assumiu o time em 2008.
Inspirado em Cruyff e o Carrossel que encantou o mundo em duas Copas, a de 1974 e 1978.
Percebeu que a constante troca de posições, dois ou até três jogadores chegando ao mesmo tempo em uma bola era possível.
Encantar apenas o mundo não bastava,
Ele queria, necessitava de títulos.
E os passou a colecionar.
O de hoje foi mais um.
Quem apostou na utopia, encarou de frente a dura realidade.
Inaceitável chegar à véspera da decisão do Mundial sem time definido.
Com dúvidas que atormentavam os próprios jogadores.
Mesmo tendo tempo, o time brasileiro não treinou no Japão a maneira que foi para o jogo.
Muricy resolveu barrar Elano, que realmente estava muito mal.
Só que arrastou a decisão.
Quis fazer tanto segredo que desperdiou o pouco tempo que tinha.
Ao sacar o veterano jogador, o técnico sonhava em armar duas linhas de marcação.
Uma de quatro e outra de cinco jogadores.
Borges teria de ficar sozinho na frente.
Mesma estratégia do Al Sadd do Catar.
So que o Santos não é acostumado a marcar.
Não de uma maneira efetiva como necessitava.
E o que se viu foi um massacre.
Iniesta, Fábregas, Xavi e Thiago mostraram que não é necessário um jogador de referência, fixo na frente.
Tendo Messi como maestro, todos giravam e desesperavam a zaga santista.
Principalmente Durval.
Mesmo jogando como gosta, pelo centro da zaga, o zagueiro falhou.
E não há perdão para falhas diante do Barcelona.
Logo aos 17 minutos, Durval deixou a bola passar embaixo dos seus pés.
E ela foi parar nos de Messi.
O toque foi genial encobrindo Rafael: 1 a 0.
Todos que estavam na gelada noite de Yokoha sabiam que viriam outros gols.
Xavi marcou aos 24 minutos se aproveitando de outro erro na antecipação de Durval.
2 a 0 estava pouco.
Danilo se machucou e Muricy colocou Elano.
Bruno Rodrigo foi para o lado direito.
E o veterano meia foi mais um volante de marcação, a correr atrás da bola.
Ou seja: nada mudou.
Pelo contrário.
Os catalães faziam o que queriam, contra
A pressão continuava.
Era como um time de adultos contra juvenis.
A imagem corresponde à distância de um clube que arrecada R$ 1 bilhão por ano.
Contra quem consegue juntar R$ 150 milhões e comemora.
Tocando a bola na intermediaria santista, o Barcelona marcou seu terceiro gol.
Aos 45 minutos, Fabregas apareceu livre, solto na área.
3 a 0 já definia o campeão do mundo.
A torcida santista que se sacrificou e veio aqui para Yokohama se calava.
Estava conformada.
A diferença era muito grande.
Dois capitulos à parte foram Ganso e Neymar.
O meia conseguiu ainda se superar diante do excepcional time catalão.
As únicas pitadas de consciência do Santos vinham dos seus pés.
Já Neymar que havia prometido ousadia, alegria, bom futebol e gols foi uma decepção.
Teve uma atuação constrangedora, digna de Robinho em jogos importantes pelo Santos.
De brilhante só a sua chuteira verde limão.
Mostrou que é um menino perto de Puyol, seu ídolo no videogame.
Na primeira etapa, o Barcelona ficou com 74% de posse de bola.
No segundo tempo, o Barcelona diminuiu o ritmo.
Sabia que era campeão desde que o jogo havia começado.
Não havia interesse em desmoralizar os brasileiros.
Mesmo assim, fez de Rafael o seu grande jogador.
O goleiro fez pelo menos três grandes defesas.
O Santos não tinha pressa.
Não tinha sonhos.
Sabia que não tinha direito.
E conseguiu se segurar até os 36 minutos.
Quando Daniel Alves invadiu a área e tocou para Messi sozinho diante de Rafael.
O drible foi seco, curto.
O argentino não entrou com bola e tudo porque teve a humildade que Jorge Ben pregava...
E tocou para as redes: 4 a 0.
Por crueldade, as câmeras do estádio mostravam nos telões do estádio Neymar.
O jogador de cabeça baixa, desconsertado.
Envergonhado.
Ficou evidente que ele não teve personalidade para enfrentar um jogo tão importante.
A frustração da imprensa internacional com o brasileiro foi imensa.
Ficou mais do que evidente a fragilidade do Santos como um todo diante do Barcelona.
Não foi apenas a defesa, como todos esperavam.
O time naufragou de maneira constrangedora.
Foi a final de Mundial mais fácil de todos os tempos.
Infelizmente não foi o duelo entre a individualide contra o coletivo.
Foi do melhor time do mundo como uma ótima equipe da América do Sul.
Infelizmente para nós brasileiros, muito longe do verdadeiro profissionalismo do Barcelona..
A distância é a mesma de Neymar para Messi.
Ele é um garoto promissor que faz festa no Brasil.
Neymar é o melhor do jogador mundo...
FONTE R7

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Giovanna Lancellotti: Faz sucesso ao exibir seios em Gabriela.

Giovanna Lancellotti causou um grande alvoroço ao aparecer com os seios à mostra em “Gabriela”, durante uma cena de banho, após a personagem perder a virgindade. Durante a exibição, a intérprete de Lindinalva virou comentário nas redes sociais, atraindo ainda mais o desejo dos marmanjos em vê-la numa publicação nua. Mas a atriz, que só tem 19 anos, diz que não pensa no assunto. "Recebi alguns convites para ensaios sensuais e apesar de estar com um personagem sensual na TV isso não quer dizer que necessariamente tenha que ser sensual na minha vida pessoal. Acho que sou muito nova para pensar em fotos muito sensuais ou ensaio nu nesse momento", diz.
Fonte: Extra/Retrados da Vida

VEM AÍ | Marido en Alquiler

Entrevista a los protaganistas de la novela Marido en Alquiler (Fina Estampa) muy pronto por Telemundo

A FORÇA DO QUERER | Abertura

A FORÇA DO QUERER | Tema de Abertura | Caetano Veloso - O Quereres

A LEI DO AMOR | Cap. 154 | 30/03/2017 | Penúltimo Capitulo.

Guilherme Berenguer cotado para protagonista de minissérie bíblica

Guilherme Berenguer, já na reta final de gravações de “Vidas em Jogo”, é um nome bastante cotado para viver o protagonista da minissérie sobre “José do Egito”. Alexandre Avancini, diretor, pretende iniciar as gravações em julho.

Via: Flávio Ricco

NOVO MUNDO | Cap. 018 | 11/04/2017 | TV_GLOBO - Brasil

SANGUE BOM | Capítulo 144 - Últimas Semanas - 14/10/2013 (Globo - Brasil)

CARAS & BOCAS | Capítulo 145 - Último Capítulo - 01/07/2014 (Globo - Brasil)